Neide e Papaléo são as primeiras cabeças cortadas de 2018

O vice-governador Papaléo Paes e a advogada Neide Santos são as primeiras vítimas da guilhotina política da eleição deste ano. É sempre assim: para honrar um acordo, é necessário desonrar outro. Por isso quem dorme candidato, pode acordar como mais um na multidão.

Nesta segunda-feira, 30, a pré-candidata ao Senado Neide Santos (PP) viu o sangue escorrer pelo pescoço e tirá-la da disputa. De forma inesperada Neide foi comunicada que o PP, partido ao qual é filiada, não terá candidato ao Senado. O anúncio gerou revolta na advogada, que atribuiu a culpa ao senador Randolfe Rodrigues, que sequer é do mesmo partido.

Pré-lançamento de Neide. Dormiu candidata, acordou sem nada.

Em vídeo distribuído pela rede social o presidente do PP/AP deputado André Abdon disse que a decisão de não ter candidato foi acordada há dois anos e que outras informações são “meros boatos”.

A mesma situação viveu o vice-governador Papaléo Paes, que conta ter recebido convite de Waldez Góes (PDT) para ser vice novamente, mas deve ser substituído pelo empresário Jaime Nunes (PROS). Embora o PDT diga que nada está definido, a mudança já é dada como certa nos bastidores.

Há seis do prazo final da definição das candidaturas, muitas cabeças ainda vão rolar.

 

 

Vídeo gravado pelo presidente do PP sobre a decisão de não ter candidatura ao Senado:

 

 

Compartilhar