Brigas, intrigas e disputas dividem militância de Bolsonaro no Amapá

Unidos por Bolsonaro, desunidos por intrigas e vaidades. É assim que está o grupo de militantes de Jair Bolsonaro, no Amapá. A briga gira em torno da liderança do movimento a favor do presidente eleito. Antes supra ou apartidário, o grupo começou a ganhar donos e isso tem gerado discórdia, ofensas e muita confusão.

A primeira “porrada” ocorreu quando o presidente do PSL, partido de Bolsonaro, Sharon Braga anunciou apoio a Waldez Góes no segundo turno da eleição para governador. A decisão causou protestos porque boa parte do grupo entendia que o partido deveria manter-se neutro e que Sharon não podia falar pelo eleitorado de Bolsonaro. O racha entre o partido e os independentes foi inevitável.

Agora a “treta” é entre a jornalista Helen Costa e o pastor Guaracy Jr. De acordo com Helen,  a confusão começou depois que Guaracy começou a “ganhar os louros” do trabalho voluntário feito por ela e um grupo de militantes que organizaram uma caravana para pedir voto para Bolsonaro, no interior do Amapá.

“Por exemplo na primeira passeata, ele prometeu dar 5 mil bandeiras do Brasil. Quando chegaram as bandeiras, tava a bandeira do Brasil e atrás tava a foto dele com o Bolsonaro”.

Helen conta ainda que no segundo turno, Guaracy reuniu os apoiadores de Bolsonaro e se comprometeu em ajudar a caravana, mas desapareceu na véspera da viagem.

“Aí no domingo teve uma passeata e simplesmente o Guaracy tomou todos os holofotes para ele e isso foi incomodando a gente. Aí na mesma noite ele soltou um vídeo. Simplesmente no vídeo tava como se no evento fosse o Guaracy a estrela e tivesse promovido tudo. Na mesma noite ele pegou esse vídeo e se mandou pro Rio pra ir levar lá pro Bolsonaro como se fosse ele que tivesse feito tudo sozinho”, conta Helen.

Elen Costa diz que Guaracy quer colher louros do trabalho dos outros

A confusão deve terminar na justiça, pois existem gravações, notas, ofensas   e ameaças de processos para reparar possíveis calúnias e difamações.

Guaracy foi candidato ao Senado

Procurado pelo blog, o pastor ficou de se posicionar, mas ainda o fez em função de estar ocupado com outras atividades políticas.

 

Compartilhar